76% das embalagens de cadeias de fast-food na Europa contêm químicos perigosos e persistentes

76% das embalagens de cadeias de fast-food na Europa contêm PFAS, uma família de químicos perigosas e persistentes, revela um estudo conduzido por nove associações ambientais europeias. O estudo demonstra que a utilização destes químicos em embalagens alimentares e em talheres descartáveis é uma prática comum na Europa, nomeadamente em cadeias como a McDonalds, o KFC, a Subway e a Dunkin Donuts.

As substâncias perfluoroalquílicas (PFAS) têm propriedades antiaderentes, repelentes, etc. e, por isso, são utilizadas desde o início dos anos 1940s em tintas, produtos de limpeza, têxteis que repelem água e embalagens alimentares.

Contudo, este tipo de produtos químicos é “extremamente persistente na natureza, decompõe-se dificilmente e contamina águas, solos e ar”, sendo considerados “químicos para sempre” (forever chemicals). Além das consequências para o ambiente, ao longo dos anos, vários estudos têm associado estes químicos a diversos problemas de saúde, tais como cancro, problemas na tiróide, imunossupressão, baixo peso ao nascer e infertilidade.

O estudo mostra que 32 das 42 amostras de embalagens alimentares selecionadas para análise química (76%) foram tratadas intencionalmente com PFAS. Em todas as amostras foram identificados vestígios deste produto químico.

A autora principal do estudo e assessora científica da Organização Não-Governamental (ONG) checa Arnika, Jita Strakova, frisou que “está na hora da União Europeia atuar e proibir de forma imediata e permanente todos os tipos de PFAS nas embalagens alimentares, para proteger os consumidores”.

“Não podemos aceitar que as embalagens de alimentos que se descartam em minutos sejam tratadas com substâncias químicas que resistem e se acumulam no meio ambiente”, frisou a responsável de uma das associações envolvidas, a Aliança para a Saúde e o Ambiente, Natacha Cingotti.

A Suécia, a Holanda, a Alemanha e a Dinamarca tomaram já medidas, apresentando planos para reduzir substancialmente a utilização de PFAS até 2030. Até ao momento, a Dinamarca é o único país que baniu os PFAS das embalagens alimentares. Neste país, nenhuma das amostras recolhidas tinha sido tratada com PFAS, o que demonstra que a legislação pode proteger as pessoas da exposição a substâncias químicas nocivas.

Links Úteis:

https://www.env-health.org/forever-chemicals-widespread-in-disposable-food-packaging-from-popular-fast-food-chains-across-europe-new-study-shows/

https://www.publico.pt/2021/05/20/sociedade/noticia/70-embalagens-fast-food-contem-quimicos-resistentes-estudo-1963334

https://edition.cnn.com/2019/09/04/health/denmark-pfas-food-packaging-ban-intl/index.html

https://lifestyle.sapo.pt/saude/noticias-saude/artigos/embalagens-de-fast-food-contem-produtos-quimicos-antiaderentes

https://www.sokolovelaw.com/blog/europe-moves-to-ban-pfas/

Disponibiliza um serviço comercial de pronto-a-comer na restauração e pretende fazer parte do movimento Take It?

Junte-se a 433 estabelecimentos.