Boas práticas

Para que um estabelecimento de restauração se torne associado do Take It, bastará apresentar o dístico no seu estabelecimento, bem como ter o cartaz da campanha num local visível para os seus clientes. Desta forma, promoverá a sensibilização para a reutilização dos recipientes no serviço de pronto-a-comer ou takeaway.

Contudo, para que se torne num verdadeiro embaixador de resíduos zero, existem outras medidas que podem ser adotadas na gestão do dia-a-dia:

1. Informação visível: O primeiro passo para promover uma cultura de resíduos zero é ter informação visível e clara para os consumidores. Além do dístico e do cartaz da Take It, os estabelecimentos poderão apresentar essa informação em meios adicionais: quer seja o website, nas redes sociais ou na ementa impressa. Todos os meios são válidos para sensibilizar o cliente a trazer o seu próprio recipiente. Estes meios podem também ser utilizados para divulgar outras medidas sustentáveis que estejam a ser adotadas (como, por exemplo, a disponibilização da água da torneira).

2. Primeira abordagem: Para garantir que os consumidores têm conhecimento do seu direito de trazer a sua caixa, a primeira abordagem poderá ser mesmo essa: “Trouxe o seu recipiente?”. É simples e eficaz introduzir esta questão no discurso dos trabalhadores que têm contacto direto com o cliente, quer seja no estabelecimento, quer seja por telefone. Podem também oferecer incentivos a quem trouxer os seus recipientes.

3. Sistema próprio: Os estabelecimentos comerciais podem criar o seu próprio sistema de caixas reutilizáveis, que funciona particularmente bem com clientes habituais. Nos sistemas mais comuns é cobrada uma taxa pela disponibilização de um recipiente reutilizável que, depois, é devolvida ao consumidor aquando da devolução do recipiente.

4. Menos descartável: Além da reutilização das caixas para o pronto-a-comer, os restaurantes poderão promover a redução de embalagens e elementos descartáveis de forma mais abrangente. A eliminação de utensílios descartáveis (independentemente dos materiais em que são feitos) é uma melhor prática, cada vez mais introduzida pelos restaurantes.

5. Escolhas sem lixo: As refeições e bebidas que não utilizam embalagens são também uma melhor prática. A disponibilização de água da torneira e a introdução de bebidas que não utilizam embalagens (como limonadas, chás ou infusões) são outras práticas que permitem reduzir os resíduos produzidos e, até, aumentar a margem em alguns produtos.

6. Resíduos dos fornecedores: Os estabelecimentos comprometidos com práticas de resíduos zero pensam em toda a cadeia de valor. Inquirir os fornecedores de embalagens de pronto-a-comer sobre soluções reutilizáveis é um primeiro passo. Da mesma forma, é possível abordar os fornecedores de produtos e alimentos sobre soluções com embalagens reutilizáveis (não apenas para bebidas, mas também para vegetais, frutas, carnes, peixes, etc.).

7. Serviços municipalizados: O tratamento dos resíduos envolve, muitas vezes, a articulação com os serviços do município e é útil questionar sobre as melhores soluções de gestão de resíduos no concelho. Muitos oferecem já soluções de compostagem e recolha porta-a-porta que permitem minimizar os resíduos ou facilitar a sua reciclagem.

8. Redução do desperdício: O desperdício alimentar é uma grande fonte de resíduos, principalmente na restauração. A implementação de medidas que permitam reduzir este tipo de resíduos, como o tamanho das porções e o acondicionamento dos alimentos, diminui este impacto e reduz os custos dos estabelecimentos.

Disponibiliza um serviço comercial de pronto-a-comer na restauração e pretende fazer parte do movimento Take It?

Junte-se a 477 estabelecimentos.